Follow by Email

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Cartas de Julieta

Bêbeda de desespero cambaleio em direcção a ti. Fitas-me aos tombos e, sem pingo de ternura, deixas-te ficar imóvel, enquanto assistes, de forma tão idiota, ao meu espectáculo de embriaguez. Achavas-te tão lúcido. Eu uma droga. Onde foi que te perdeste mesmo, Romeu?
 
 
A tua Julieta
 

4 comentários:

  1. Ó Julieta, que bem soube ler esta carta!!!

    Se queres que te diga não sei onde me perdi mas, uma coisa é certa, não foi no nevoeiro.

    Imóvel? Isso não é com PREDIMED ou com a ERA? :)

    Mesmo bêbeda podes caminhar à vontade, Julieta. E não ligues ao hálito do cognac, isso passa.

    Lúcido? Sempre! Drogas é que não.

    E agora vou saindo, devagarinho, por causa da corrente de ar ... e dos vizinhos :)

    Beijo, Julieta 4ever!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De sete linhas que escrevo recebo, em troca, apenas uma? :(:(:(

      Beijinho, Julieta ;)

      Eliminar
  2. Tu deixas-me sem palavras, já viste? ;)
    Li as 7 linhas com muita atenção, acredita :)
    Beijinho Romeu

    ResponderEliminar